Soneto mínimo da criação

Sentindo o teu calor
por um instante pensei:
assim se sente o amor
que em ti eu encontrei

Claridade, flor nascente
luz serena que anuncia
a magia do teu ventre
vai raiar de novo o dia

Arde sempre até se ver
Desatina com vontade
Alimenta este querer

que por ti não tem idade.
Quando a vida acontecer
é por amor de verdade

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.