Soneto de uns brincos que hoje vi pousados num poema

Pousadas num livro de poemas raros

Estão duas mulheres que em silêncio esperam

Querem a verdade dos textos que leram

Sabem ter ouvido que há dias mais claros

Pela madrugada ouvem os suspiros

e os sons e os risos do nosso calor

sem saber que amantes amando despidos

definem de novo a palavra amor

Que é precisa a luz nos olhos que amam

Que o fogo só arde se se puder ver

Que a vida é maior para os que a reclamam

Que uma noite é tudo o que puder ser

Amores perfeitos são sempre os que ganham

um verso onde escrevo que te quero ter

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.