Antiga canção desesperada

(…)

Posso escrever os versos mais belos esta noite.

Pensar que já a tenho. Sentir que a encontrei.

Ouvir a noite imensa, mais imensa com ela.

E o verso sobe na alma como ao céu a melodia.

Como importa que meu amor possa guardá-la

A noite está estrelada e ela está comigo.

Isso é tudo. Muito perto alguém canta. Muito perto.

Minha alma se contenta em havê-la encontrado.

Era para celebrar que o meu olhar a buscava.

Meu coração a buscava, e ela agora está comigo.

Porque, em noites como esta, a terei entre meus braços,

minha alma se contenta em havê-la encontrado.

Mesmo que este seja o primeiro sorriso que ela me dá,

e estes sejam os primeiros versos que eu lhe escrevo.

Palimpsesto raspado em sol maior sobre a canção desesperada de Pablo Neruda

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.